Qual São Paulo queremos para o futuro? – por Andrea Matarazzo

Qual São Paulo queremos para o futuro?

por Andrea Matarazzo

.

.

Estamos diante de uma importante discussão sobre a São Paulo que gostaríamos de viver nos próximos anos, sobre qual é o futuro que nos reserva: uma cidade vanguardista ou presa a um assustador passado sombrio?

.

Estamos no século 21, mas grande parte dos paulistanos ainda vive soterrada por problemas do século 19, como falta de saneamento básico, vias sem asfalto, instalações de saúde pública deterioradas, transporte público inexistente. E, para piorar, abafadas por doenças como tuberculose, dengue, zika vírus, febre chikungunya.

.

Há pouco tempo, perdi um grande amigo, o Feitosa, para a dengue hemorrágica. É inacreditável pensarmos que com todos os recursos que temos hoje, com todos os avanços que fizemos na medicina, ainda vemos pessoas morrendo com essas doenças. Parte desse problema é porque estamos vivendo em uma cidade abandonada. Exemplo disso é a UBS do Jaçanã, instalada em um prédio de madeira no meio do mato, com um só banheiro em péssimo estado para mais de 40 funcionários.

.

Por isso, passou da hora de o poder público estar mais fortalecido para enfrentar esses abismos. Não é preciso operar milagres, inventar soluções, nem engendrar grandes receitas. Basta fazer o dever de casa, como voltar a fazer as operações Cata-Bagulho, realizar a limpeza de córregos, cortar os matos espalhados pelas vias da cidade, asfaltar ruas de terra, iluminar vielas, acelerar a operação fumacê contra o mosquito da dengue, equipar e renovar as UBSs. Com pequenos, mas decisivos esforços, é possível retirar os bairros mais periféricos de São Paulo do obscurantismo.

.

É importante pensarmos em uma cidade moderna e vanguardista, antenada com as últimas tendências das grandes metrópoles mundiais? Sem dúvida, mas mais relevante ainda é trazer a maior parte dos paulistanos para o século 21, para que eles tenham disponíveis serviços de qualidade e bem planejados.

.

Todos nós precisamos refletir sobre qual cidade queremos: uma cidade segregada, moderna só para uns poucos ou uma cidade inclusiva, harmoniosa e eficiente? Eu já me decidi. Quero uma São Paulo igualitária para todos. E você?

.

.

Andrea Matarazzo, Vereador de São Paulo e Pré-candidato a Prefeito pelo PSDB.

.

.